domingo, 21/04/2024
Banner animado
InícioNotíciasEducaçãoAlunos são proibidos de usar celular e tablets em sala de aula...

Alunos são proibidos de usar celular e tablets em sala de aula em MT

Banner animado

COLÉGIO VISÃO JPEG

Lei sancionada em dezembro do ano passado impede o uso de celular.
Diretoras de escolas disseram que medida reforça o que já era proibido.

Pollyana Araújo Do G1 MT

Escola de Juazeiro proíbe celular em sala de aula (Foto: Imagens/TV São Francisco)

Alunos não podem mais usar celular na sala de aula

 (Foto: Imagens/TV São Francisco)

                            Com o início do ano letivo, as escolas estaduais de Mato Grosso devem cumprir uma lei sancionada no final do ano passado, que proíbe o aluno de usar aparelho de celular e outros eletrônicos, entre eles tablet, notebook e câmera fotográfica, em sala de aula. Para os diretores de algumas escolas, a lei veio para reforçar normas internas já existentes em algumas unidades de ensino.

                      O uso de celulares por estudantes já gerou vários transtornos, como relataram as diretoras de duas grandes escolas de Cuiabá, a Presidente Médici e a André Avelino Ribeiro, no Centro de Cuiabá e no CPA. A diretora da Escola Estadual Presidente Médici, Patrícia Carvalho, disse que os estudantes já eram proibidos de usar o celular em sala de aula, somente era permitido em caso de ligações urgentes.

                   “O uso de celular já era contido, a não ser que o professor autorizasse, porque distrai o aluno se usado de forma inadequada”, afirmou. Segundo ela, o aluno leva o celular para a sala, no entanto, o aparelho deve estar desligado e dentro da mochila. “Quando o aluno não atende aos comandos do professor, a coordenação é acionada e chamamos os pais desse estudante para que situações como essas sejam evitadas”, explicou a diretora. A escola possui cerca de 2 mil alunos.

                Já na Escola Estadual André Avelino Ribeiro a situação é mais grave. Na unidade não existia uma norma interna que proibia o uso do celular e os alunos eram apenas orientados sobre o mau uso de aparelho em sala de aula, o que já gerou situações complicadas na escola. A diretora Váléria Almada Arizawa contou que, certa vez, oito alunos estavam com o fone de ouvido durante uma aula. “Imagina em uma sala com 30 anos, oito usarem fone de ouvido e não prestarem atenção na aula?, afirmou.

                   Na unidade, o previsto na lei está em fase de adaptação, tanto para os professores quanto para os alunos. “Estamos fazendo um teste nesta semana, orientando os alunos e professores. Na sexta-feira (13) teremos uma reunião para verificar como a lei está sendo cumprida. Antes era na ‘bronca’ mesmo. Quando o professor se sentia prejudicado, ele comunicava a coordenação”, contou a diretora.

A lei
                 A lei de autoria do deputado estadual Mauro Savi (PR) foi sancionada pelo então governador do estado, Silval Barbosa (PMDB), e publicada no Diário Oficial do Estado, na edição que circulou no dia 29 de dezembro do ano passado. Conforme a lei, o uso de celulares e outros aparelhos eletrônicos deverá estar condicionada à finalidade acadêmica e educacional e só poderá ocorrer com autorização do professor ou responsável pela classe.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes