sexta-feira, 23/02/2024
Banner animado
InícioAGRONOTÍCIASMeio AmbienteANO MAIS QUENTE DA HISTÓRIA: 2023 segue quebrando recordes

ANO MAIS QUENTE DA HISTÓRIA: 2023 segue quebrando recordes

Banner animado

2023 já é o ano mais quente da história e agora o recorde mensal foi quebrado pela sexta vez consecutiva

Lucas Soares 

calor
Imagem: Ed Connor / Shutterstock.co

Pelo sexo mês consecutivo o mundo bateu recordes de temperatura. De acordo com o anúncio do observatório europeu Copernicus feito nesta quarta-feira (6), novembro de 2023 foi o mais quente da história.

O que você precisa saber?

  • Novembro de 2023 foi o mais quente já registrado;
  • Esse é o sexto recorde seguido de mês mais quente da história batido este ano;
  • O que faz 2023 ser considerado o ano mais quente já registrado oficialmente.

O mundo vem registrando esses recordes de forma consecutiva desde junho. Aliás, por conta disso, 2023 já é considerado o ano mais quente já registrado. O caso também não é isolado, já que os últimos oito anos formam o período mais quente da história.

2023, o ano mais quente da história

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou durante a abertura da COP-28 que estes recordes de temperatura deveriam “fazer os líderes mundiais suarem frio”. “Isto é mais do que apenas estatísticas”, completou ainda Taalas. “Corremos o risco de perder a corrida para salvar nossas geleiras e frear o aumento do nível do mar”, disse ele.

A temperatura média do ar em novembro foi de 14,22°C, 0,85°C acima da média de novembro de 1991-2020 e 0,32°C acima do novembro mais quente anterior, em 2020.

As extraordinárias temperaturas globais de novembro, incluindo dois dias mais quentes do que 2ºC acima do período pré-industrial, significam que 2023 é o ano mais quente já registrado na história.Samantha Burgess, vice-diretora do Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus (C3S).

“Os gases de efeito estufa estão em níveis recordes. As temperaturas globais estão batendo recordes. O mar está em níveis recordes e a camada de gelo marinho da Antártica nunca foi tão fina”, disse o chefe da Organização Meteorológica Mundial (OMM), órgão da ONU, Petteri Taalas.

Da redação / Com OlharDigital

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes