sexta-feira, 01/03/2024
Banner animado
InícioAGRONOTÍCIASAgronegócioAssentamento em Cláudia Mato Grosso vende produção pela internet

Assentamento em Cláudia Mato Grosso vende produção pela internet

Banner animado

COLIMEL

AIniciativa aproximou consumidores da cidade e produtores do campo.

Com o aumento das vendas, cooperativa constrói sede.

Do G1 MT

O agricultor Lourival Maringá viu as vendas de produtos agrícolas aumentarem com o site Cantasol (Foto: Reprodução/TVCA)

No assentamento 12 de outubro, na zona rural do município de Cláudia, região Norte de Mato Grosso, os agricultores agora anunciam os produtos agrícolas por meio de um site na internet, criado por estudantes da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat).

Lourival Maringá é um dos assentados e possui uma horta de 10 hectares em seu sítio onde cultiva de tudo um pouco: mandioca, milho, hortaliças, frango caipira. “Agora plantamos sabendo que vamos vender”, conta ele.

Assentado pela reforma agrária desde 2010, ele enfrentou dificuldades para conseguir tirar sustento da terra. No início, a produção era pequena e mal dava para o consumo da família. O pouco que sobrava gerava uma renda mínima, insuficiente para novos investimentos. A situação só melhorou depois que ele e os filhos fizeram alguns cursos técnicos, entre eles o de agroecologia.

O conhecimento ajudou a alavancar a produção, mas o desafio passou a ser conseguir vender os produtos para os consumidores da cidade. Foi então que os estudantes de administração Milton Mauad e Tatiane tiveram a ideia de divulgar os produtos na internet.

Adeptos de uma alimentação saudável e preocupados com a origem dos alimentos, eles não encontravam com facilidade os produtos agrícolas quando se mudaram para Sinop, na mesma região. Conhecendo a produção do assentamento, podiam enfim ter um produto de qualidade e com garantia de procedência e levaram essa ideia para a universidade.

Segundo Milton, já existia um projeto desde 2011 na universidade onde as turmas de educação no campo já tinham contato com os assentamentos. “Então pintou a ideia do cinturão verde da região de Alta Floresta de trazer o modelo que eles já desenvolviam lá e adequar à realidade da região de Cláudia e Sinop para comercializar esses produtos”, explica o universitário.

Os estudantes cadastraram as famílias, a produção e montaram um site de vendas on line. A iniciativa foi vantajosa para os dois lados, para os assentados uma vitrine que impulsionou as vendas. “As vendas aumentaram mais de 80%, primeiro era só para consumo próprio. Com o site Cantasol aumentaram bastante as vendas”, ressalta Lourival Maringá.

Milton Mauad foi um dos estudantes que tiveram a ideia de criar o site para venda de produtos do assentamento (Foto: Reprodução/TVCA)
Milton Mauad foi um dos estudantes que tiveram a
ideia de criar o site para venda de produtos do
assentamento (Foto: Reprodução/TVCA)

Já para os estudantes das áreas econômicas – de administração, economia e contabilidade -, que gerenciam o sistema,, desenvolver a ideia trouxe o conhecimento prático. “Eles desenvolvem toda uma noção de administração, que obviamente é um pequeno núcleo, mas que guarda os conceitos fundamentais de uma administração que um dia poderá ser a administração de uma grande empresa, de uma grande estatal”, destaca o professor Denizalde Pereira.

Semanalmente a lista de produtos é atualizada no site. Para garantir mais segurança no negócio, os clientes precisam fazer um cadastro antes de dar início às compras. De quinta a segunda-feira, a loja fica disponível para pedidos, que são entregues pelo grupo de trabalho aos assentados. Os produtores têm de segunda a quarta-feira para preparar os itens pedidos. As entregas são feitas uma vez por semana, na quarta-feira, no campus da universidade, a partir das 16h30.

sCom publicidade e avanço das vendas, a oferta de produtos precisa aumentar. Por isso, as mulheres do assentamento montaram uma cooperativa e trabalham juntas na produção de doces, pães e produtos de limpeza. “Não tinha um  trabalho, pra mim foi um incentivo pra sair de casa, ganhar um pouco mais, ajudar na renda”, conta a cooperada Nazirene Souza.

Os projetos estão só começando. O próximo passo é construir uma nova sede para a cooperativa, que já conta com uma van, o que vai facilitar o transporte dos produtos até a cidade.

O agricultor Calisto dos Reis fala sobre os planos para o futuro. “Queremos levar produtos para fazer feira a pronta entrega, para atender dois públicos, tanto as pessoas que compram pela internet, quanto aquelas que gostam de ir lá na feira mesmo, experimentar o produto. Queremos fazer essas duas coisas ao mesmo tempo juntamente com esse projeto”, diz.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes