terça-feira, 16/04/2024
Banner animado
InícioNotíciasPolicialBrasileira vítima de estupro coletivo na Índia narra ocorrido; mulher...

Brasileira vítima de estupro coletivo na Índia narra ocorrido; mulher perpetrado por sete homens enquanto o marido era ameaçado de morte

Banner animado

Uma brasileira e seu marido, ambos viajando de moto pelo nordeste da Índia, foram vítimas de um violento ataque no último fim de semana, perpetrado por sete homens enquanto o marido era ameaçado de morte. Embora as autoridades indianas tenham conseguido identificar todos os envolvidos no estupro, até o momento apenas três deles foram detidos. Em entrevista à Agência EFE, o casal agradeceu por estarem vivos e compartilhou os detalhes do crime.

“A cada um dos sete, eles me estupraram várias vezes. Enquanto dois ou três vigiavam ele (meu marido), outros dois ou três vinham e se revezavam”, relatou a vítima, que, junto ao marido brutalmente agredido, percorria o mundo de moto e acampava na aldeia de Kunji, no estado de Jharkhand.

A entrevista ocorreu em uma casa de segurança do governo, a cerca de 50 quilômetros do local do incidente, onde contam com vigilância policial constante. Segundo o relato do casal, os sete detidos foram identificados pela polícia, sendo pessoas com idades entre 18 e 30 anos. Eles mantiveram o marido nu e amarrado, enquanto dois ou três abusavam da mulher. “Eu não a via e pensei: eles a mataram”, contou ele, que permaneceu no chão recebendo golpes e chutes durante todo esse tempo.

Ela detalhou que, cerca de três horas após o ataque, os agressores se “cansaram ou não queriam correr mais riscos”, momento em que deram roupas a ela para que se vestisse antes de sair dos arbustos onde ocorreu o estupro. O casal compareceu a um tribunal no domingo para depor perante o juiz e relatar tudo o que aconteceu.

As vítimas do ataque estavam em uma viagem ao redor do mundo, passando por diversos continentes e mais de 66 países. “Já visitamos 66 países, percorrendo 170.000 km. Passamos vários meses na África, Oriente Médio, Iraque, Kuwait, Jordânia, Arábia Saudita e muito tempo nesses lugares”, afirmou ele, lembrando que ela foi a primeira mulher a entrar de moto no Afeganistão durante a época dos talibãs.

Durante as declarações à agência, o casal relatou que ao longo da viagem não acampou em nenhum lugar, mas na Índia a situação era diferente, não por questões de segurança, mas porque “há muita gente por toda parte e não deixam você em paz”. Agora, os dois só pensam em deixar o país e planejam viajar de moto até o Nepal na terça-feira, de onde voarão para a Espanha.

Um caso de grande repercussão

“Esperamos que isso sirva para que as penas sejam severas. Na Índia, as penas são realmente duras, e quem pensar em fazer algo assim deve pensar duas vezes”, comentou ele, enfatizando que, apesar desses casos, a Índia é um país seguro, assim como o restante da Ásia.

O caso está agora nas mãos da polícia, que mantém a investigação em andamento para tentar deter todos os envolvidos. O estupro é um crime que afeta toda a Índia, especialmente em Jharkahand, que está entre as 10 províncias com maior número de casos, juntamente com Nova Delhi e Rajastão. O último relatório de crimes na Índia, correspondente a 2022, registrou cerca de 31.500 casos de estupro apenas naquele ano, aproximadamente 86 estupros por dia.

Crédito:GazetaBrasil

Imagem destacada/reprodução internet

ARTIGOS RELACIONADOS
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes