sábado, 02/03/2024
Banner animado
InícioSocialAmor & CiaCasais aproveitam projeto para oficializar união

Casais aproveitam projeto para oficializar união

Banner animado

Foto destaque: jornaladvogado.com.br

 

                                 Rio cheio, chuva fina, vento soprando, chalana ancorada à beira do Cuiabá, município de Barão de Melgaço. Este foi o cenário pantaneiro, de visão quase bucólica, que o casal Marciléia Loures, 32 anos, e Jairo César Marques, 40 anos, escolheu para oficializar a união de 19 anos.

                      Dentro da Chalana Athenas ambos disseram sim sob os aplausos de servidores e voluntários que estão participando do projeto Ribeirinho Cidadão, desenvolvido pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Defensoria Pública do Estado e parceiros.

                  Eles aproveitaram a oportunidade para se casar no civil. Tudo foi feito ali mesmo, dentro da chalana, sem qualquer burocracia e gratuitamente. “Era um sonho antigo que a gente vinha adiando por vários motivos. Hoje tivemos esta oportunidade e resolvemos casar legalmente. Foi tudo muito prático. A questão financeira também pesa, porque se tivesse que pagar pelo casamento iria gastar R$470,00. Para nós, que temos uma renda baixa, faz muita diferença”, diz Marciléia, sem esconder a felicidade de estar realizando um sonho.

               Quem também aproveitou a oportunidade para fazer o casamento no civil foi Alaíde Pinheiro e Eteval Batista. Juntos há 25 anos, eles contam que nunca sentiram necessidade de oficializar a união. “Meu marido foi aposentar e não conseguiu. Resolvemos aproveitar a visita do projeto aqui na cidade e casar legalmente. Minhas filhas já são casadas e nós não, e elas cobravam muito. Agora está tudo certo. Estou feliz”.

                 Divórcio – Não apenas casamentos são realizados pelo projeto Ribeirinho Cidadão, mas também divórcios. A autônoma Elizabeth Dias Gonçalves, de 40 anos, e separada do marido há 10 meses, decidiu procurar o atendimento jurídico oferecido aos moradores para fazer o divórcio.

                  “Fui casada durante 25 anos e, como todo casamento, teve seus momentos bons e ruins, mas os últimos 10 anos foram muito difíceis pra mim. Chegou um momento que meus próprios filhos pediram para eu me separar, porque não aguentavam mais me ver sofrendo. A visita do projeto aqui na cidade foi ótima, porque já consegui resolver mais essa etapa da minha vida. Quero seguir o meu caminho e ser feliz”, afirma Elizabeth, que é mãe de três filhos.

               Bastante emocionada, ela conta que é o fim de um sofrimento. “Fiquei os últimos 10 anos do casamento tentando manter o relacionamento por causa dos meus filhos, até o momento que realmente não deu mais. Agora acabou. Vou cuidar dos meus filhos e retomar minha vida. Graças a Deus foi tudo fácil aqui, fui muito bem atendida”.

                 Atendimentos – Além da área jurídica, os ribeirinhos têm uma série de atendimentos oferecidos pelo projeto, tanto na área social quanto médica. Tudo é gratuito. O Ribeirinho Cidadão visitará 26 comunidades ao longo do rio Cuiabá, no trecho entre Barão de Melgaço e Poconé, até o dia 28 de fevereiro. Entre os dias 2 e 6 de março acontece a parte terrestre do projeto.

 Janã Pinheiro/Fotos: Adilson Cunha

Coordenadoria de Comunicação do TJMT

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes