sexta-feira, 23/02/2024
Banner animado
InícioCOMUNIDADE EM PAUTAConfira lista atualizada de pomadas capilares autorizadas no Brasil pela Anvisa

Confira lista atualizada de pomadas capilares autorizadas no Brasil pela Anvisa

Banner animado

109 produtos deste tipo foram proibidos de serem vendidos no País

Rodrigo Mozelli

Imagem: Rodrigo Mozelli (gerado com IA)/Olhar Digital

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) atualizou a lista de pomadas capilares autorizadas a serem comercializadas no Brasil, substituindo a lista anterior e a disponibilizou em painel. Além disso, a agência cancelou a comercialização de mais 109 pomadas capilares, totalizando 3.007 produtos proibidos no Brasil.

A norma que proíbe o uso desses produtos já está em vigor, o que significa que eles não podem mais ser vendidos, informa a Folha de S.Paulo. O objetivo da criação do painel é facilitar a consulta de produtos autorizados, tornando-a mais dinâmica e intuitiva, principalmente com a proximidade do carnaval. A plataforma está disponível para acesso em computadores, tablets e celulares (saiba mais abaixo).Play Video

Alerta e histórico

  • A Anvisa também alerta para que a população evite o uso de produtos irregulares, faça testes de alergia antes da aplicação e evite contato com os olhos;
  • Caso ocorra contato com os olhos, a recomendação é lavá-los com água corrente por pelo menos 15 minutos;
  • No passado, houve casos relatados de pessoas que apresentaram coceira, vermelhidão, irritação, ardência e inchaço nos olhos após o uso de pomadas modeladoras de cabelo;
  • Mais de cem pessoas procuraram a emergência oftalmológica do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Rio de Janeiro, com queimaduras nos olhos por causa desses produtos, segundo a Folha.

Como acessar a nova lista de pomadas permitidas

Para acessar a lista completa atualizada de pomadas capilares, acesse este link.

Anticoagulantes não previnem AVC de causa desconhecida, conclui estudo

A prática comum de receitar anticoagulantes para pacientes que tiveram derrames inexplicáveis ​​deveria parar, revela um estudo liderado por pesquisadores da Columbia, da Weill Cornell Medicine e da Universidade de Washington.

Olhadigital

ARTIGOS RELACIONADOS
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes