segunda-feira, 04/12/2023
Banner animado
InícioNotíciasPolicialCORRUPÇÃO: Operação deflagrada pela PF nesta segunda-feira(03) mira servidor do INSS

CORRUPÇÃO: Operação deflagrada pela PF nesta segunda-feira(03) mira servidor do INSS

Banner animado

Ação apura esquema que oferecia “ajuda” a idosos em troca de um percentual do benefício previdenciárioCompartilhe:

 

WhatsApp Image 2023-07-03 at 06.35.50.jpeg

 A Polícia Federal no Amapá deflagrou na manhã desta segunda-feira (3/7) a Operação Ombro Amigo, com o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão na capital do estado. A investigação apura os crimes de associação criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva em desfavor de um grupo criminoso que conta com a participação de um servidor do INSS.

O trabalho policial teve início após denúncia recebida pela PF, a qual relatava que um idoso havia sido abordado por um casal, que teria solicitado seus documentos pessoais e o acompanhado ao INSS para pleitear a concessão de benefício assistencial à pessoa com deficiência, a que o homem teria direito.

A denúncia narra, ainda, que quando o benefício social foi concedido pela autarquia, o casal acompanhou o idoso ao banco, para que fizesse o saque dos valores. Ao receber a primeira parcela do benefício, no valor de R$ 5 mil, o casal reteve R$ 1.8 mil, e no recebimento da segunda parcela, que seria de R$ 6.205,00, o casal havia ficado com o valor total, mas ao perceberem que os familiares do idoso estavam aguardando fora da agência, devolveram R$5 mil.

Com o avanço das investigações, a PF identificou um esquema de prospecção de possíveis vítimas, com a participação de servidor do INSS, e com fortes indícios de que este recebia vantagens indevidas para interceder na concessão dos benefícios sociais.

Foram identificadas conversas entre os particulares e o servidor público insinuando que parte dos valores recebidos pelos beneficiários seria destinado a si. Verificou-se ainda que os particulares articuladores do esquema possuíam informações privilegiadas, como datas das perícias agendadas, o que se daria, possivelmente, pelo acesso do servidor a tais informações. O servidor do INSS já havia sido investigado no ano de 2006 por conduta semelhante.

Os investigados poderão responder pelos crimes de estelionato previdenciário, corrupção passiva, corrupção ativa e associação criminosa. Em caso de condenação poderão a soma das penas pode chegar até 33 anos de reclusão, além do pagamento de multa.

Da Assessoria

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes