domingo, 03/03/2024
Banner animado
InícioNotíciasPolíticaDilma está no cargo, mas não está no poder, diz revista inglesa

Dilma está no cargo, mas não está no poder, diz revista inglesa

Banner animado

 

Folhapress

                 A impopularidade da presidente Dilma Rousseff (PT) virou notícia da revista inglesa “The Economist”, segundo a qual a petista, apesar de ainda permanecer no Planalto, não está mais no poder.
                      De acordo com a publicação, não é mais Dilma ou o PT que toma as decisões do governo. A reportagem cita, por exemplo, que a condução da economia está nas mãos do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, descrito como um economista treinado na escola liberal de Chicago, com perfil agressivamente voltado para a responsabilidade fiscal.
                  Já o controle do Congresso está nas mãos do aliado governista PMDB, ressentido com o PT, que retém o comando dos principais ministérios. A vingança, diz a revista, veio na forma do deputado peemedebista Eduardo Cunha, eleito presidente da Câmara.
               “Ele conseguiu a cabeça de quatro ministros em dez semanas de cargo”, diz o texto. Trata-se de alusão às demissões de Pepe Vargas, que saiu de Relações Institucionais e foi para Direitos Humanos; Ideli Salvatti, ex-ministra de Direitos Humanos; Cid Gomes, que deixou a Educação após um embate direto com Cunha; e Vinicius Lages, que deixou o Turismo para abrir caminho a Henrique Eduardo Alves, aliado de Cunha.
                   A reportagem aponta ainda que Dilma, visando se reaproximar do Legislativo, delegou ao seu vice,  Michel Temer (PMDB), a articulação política. Para isso, entregou a ele o poder de nomear o segundo escalão do governo.
                 Até a permanência da presidente no cargo parece incerta, de acordo com o texto. A deterioração da economia, atribuída pela revista aos erros do primeiro mandato, e o escândalo de corrupção na Petrobras acabaram com a popularidade de Dilma.
                      Além de citar os manifestantes, que protestam contra o governo, a “Economist” faz alusão à pesquisa Datafolha de abril, que indicou que 63% da população quer que a presidente sofra um impeachment.

Imagem destaque reprodução web
 

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes