terça-feira, 16/04/2024
Banner animado
InícioNotíciasPolicialDoze foragidos de alta periculosidade são presos pela Polícia Civil em MT

Doze foragidos de alta periculosidade são presos pela Polícia Civil em MT

Banner animado
Uma das presas ordenou um duplo homicídio em dezembro, em Juína; outra era procurada por roubo a banco no RN

Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT

A Gerência de Polinter e Capturas da Polícia Civil prendeu, em 72 horas, na região metropolitana de Cuiabá, 12 foragidos da justiça considerados de alta periculosidade.

Durante todo o mês de fevereiro foram cumpridos 40 mandados de prisão e 406 cartas precatórias pela unidade policial.

Parte dos foragidos presos nesta semana é ligada a uma facção criminosa que atua no estado. Um deles é conhecido como ‘Popeye’ e atuava na função de disciplina  de uma organização criminosa, sendo responsável por cumprir ordens dos líderes do grupo. Ele tem várias passagens policiais por homicídio e associação criminosa. 

Outras prisões foram de três mulheres, também em funções de liderança na facção. Uma delas ordenou um duplo homicídio no mês de dezembro, em Juína.

O trabalho operacional da Polinter teve foco neste mês em prisões de crimes violentos e contra as mulheres. “A Gepol atende também as Polícias Civis de outros estados, como por exemplo, a de São Paulo que solicitou ajuda pra prender um aliciador de criança que estava foragido há bastante tempo e responde por estupro de vulnerável. O modo operante era aliciar crianças  oferecendo doces. E após conseguir a confiança, cometia o crime e armazenava imagens em seu celular”, destacou a delegada da Polinter, Sílvia Pauluzi.

Outra prisão realizada na última semana de fevereiro Polinter foi de uma mulher, A.V. procurada por integrar uma quadrilha de roubo a banco em diversos estados. Ela foi presa em Cuiabá, onde as equipes de inteligência e operacional da Polinter identificaram seu paradeiro e cumpriram o mandado oriundo da Justiça do Rio Grande do Norte. Naquele estado ela é acusada de roubo a banco e formação de quadrilha.

A Polinter também cumpriu 406 cartas precatórias de diversos estados, maioria delas referentes a crimes de estelionato.

Imagem ilustrativa destacada/divulgação

ARTIGOS RELACIONADOS
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes