sexta-feira, 01/03/2024
Banner animado
InícioNotíciasEducaçãoEx-aluno de escola pública, Taques quer humanizar educação em Mato Grosso

Ex-aluno de escola pública, Taques quer humanizar educação em Mato Grosso

Banner animado

ANDRÉA HADDAD
Redação/Secom-MT
José Medeiros/Secom-MT
Governador Pedro Taques participa de reunião na Secretaria de Educação
Governador Pedro Taques participa de reunião na Secretaria de Educação

                    Oriundo de escola pública, o governador Pedro Taques foi aplaudido por centenas de profissionais da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) na segunda-feira (12.01) ao garantir a humanização do ensino e a aproximação dos professores com a comunidade. “A visita foi importante pelo debate franco com os educadores. Eu já tinha respeito pelo Pedro Taques e agora estou encantado”, diz o funcionário do Censo Escolar da Educação Básica, André Ricardo Ramos.

Antes de falar com todos os profissionais, Taques teve a oportunidade de conhecer dados e ouvir os anseios dos gestores da pasta durante reunião com o secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto. O governador promete providências em relação à falta de infraestrutura, de equipamentos e de qualificação profissional. “A escola é a cara de uma administração. Venho aqui pedir o empenho de todos”, frisou Taques.

O governador já recebeu o comunicado de Permínio de que o orçamento da educação aprovado para 2015 está subestimado em pelo menos 25%. “Contamos com aproximadamente R$ 1,9 bilhão, recurso que dá para pagar a folha salarial”. Taques promete rever o montante com lideranças da Assembleia Legislativa para que a Seduc tenha capacidade de investimento. Há escolas que precisam ser reformadas até 9 de fevereiro, quando começa o ano letivo. O governador destaca que técnicos do Gabinete de Projetos Estratégicos estão à disposição para elaborar as propostas de reformas. “Mato Grosso tem índices elevadíssimos de analfabetismo e evasão escolar. É vergonhoso. Precisamos transformar a riqueza econômica dos grãos em melhoria da educação e qualidade de vida”.

 

Mato Grosso conta com 746 unidades escolares onde estudam 437 mil alunos. Lembrando da época em que estudava em colégios públicos da capital, Taques destaca a importância de não “dar as costas aos alunos”. “O meu sonho da época de estudante era ter uma recepção humanizada dos gestores e uma mochila, nem isso eu tinha”, conta o governador, destacando ser filho e neto de professoras. “Vou cobrar muito, preciso de uma escola onde os professores saibam o nome dos alunos”. A técnica administrativa Angela Perottoni avalia que, com o tempo, estudantes transformaram-se em apenas número para os administradores. “Com mais alunos matriculados, mais recursos para as unidades educacionais, pelo menos esta era a lógica das gestões anteriores”, relata Angela. O foco da Seduc nesta gestão, segundo o secretário, é a aprendizagem.

Com cerca de 50% dos profissionais comissionados, a Educação deverá ter mais dois concursos no próximo ano. A proposta é chegar ao percentual de 80% de concursados na secretaria. “Também temos que combater a ‘máquina de atestados’ na Educação”.

Taques pretende se reunir semanalmente com o secretário e a equipe no Palácio Paiaguás. Também promete retornar à Seduc para ouvir novamente os profissionais. Outra iniciativa do governador é visitar as duas escolas, uma em Jangada e outra em Acorizal, que figuram entre as últimas no quesito qualidade de ensino. “Permínio, vamos fazer o possível para que estas escolas estejam entre as melhores no próximo levantamento”, diz Taques.

Permínio recebeu a secretaria com R$ 190 milhões de restos a pagar das gestões anteriores, o equivalente a 10% do orçamento. Outros R$ 148 milhões estão empenhados para custear 124 obras em 52 municípios, diz o secretário. Porém, deste montante, R$ 34 milhões estavam previstos para construções que, segundo o secretário, a Seduc sequer têm condições de prosseguir com as obras. “Precisamos mostrar à sociedade como recebemos o Estado”, aponta Taques. Em um mês, Permínio aposta na redução de 15% dos restos a pagar. Ele também pretende cortar custos em áreas não finalisticas, como a Tecnologia da Informação, setor que recebeu R$ 60 milhões da pasta em 2014.

COLÉGIO VISÃO JPEG

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes