sábado, 02/03/2024
Banner animado
InícioAGRONOTÍCIASAgronegócioGoiás deve responder por quase um terço da produção brasileira de tomate

Goiás deve responder por quase um terço da produção brasileira de tomate

Banner animado
tomate

Com uma produção estimada em 1,3 milhão de toneladas, Goiás deve responder por 32,7% do volume total de tomate a ser produzido este ano no Brasil. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) calcula que a produção goiana do fruto vai aumentar 11,6% em 2023, percentual superior à média nacional, que deve ficar em 1,5%, na comparação com o resultado de 2022. Ainda segundo o órgão, a projeção para a área plantada de tomate no estado é de crescimento de 8,5%, atingindo 13,6 mil hectares. O rendimento médio deve chegar a 93,8 toneladas por hectare, o que representa aumento de 2,9% em relação ao ano passado.

Os números fazem parte da edição de março do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE. A pesquisa aponta que a produção goiana de cereais, leguminosas e oleaginosas deve crescer 2% e alcançar 27,8 milhões de toneladas, colocando Goiás na quarta posição nacional entre os maiores produtores. O desempenho é puxado principalmente pelas culturas de algodão, arroz, girassol, milho safrinha e sorgo. De acordo com o Instituto, as produções de mandioca e uva também devem registrar expansão no estado.

Exportação de milho cresce mais de 200% no primeiro trimestre

Estimativa de grãos

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) também divulgou estimativas de produção. O 7º Levantamento da Safra de Grãos 2022/2023 revisa para cima a projeção para a safra goiana no ciclo atual. O último levantamento, divulgado em março, apontava uma produção total de 31,7 milhões de toneladas. A nova estimativa é de 32 milhões de toneladas de grãos, o que representa crescimento de 11% em relação ao volume colhido no ciclo anterior.

Ainda segundo a Conab, a produção goiana de milho deve atingir 12,5 milhões de toneladas, apresentando crescimento de 29,2% na safra 2022/2023. Já a projeção para a soja passou de negativa para positiva. Em março, a estimativa era de leve recuo de 0,6% na produção da oleaginosa. Agora é de aumento de 1,4% na produção, chegando a 17,6 milhões de toneladas. A Companhia Nacional de Abastecimento avalia que os maiores volumes de chuvas na região Sul de Goiás favoreceram “o desenvolvimento dos cultivos de segunda safra, porém atrasaram a colheita e operações logísticas da soja”.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

Clique AQUI, entre no grupo de WhatsApp do Canal Rural Brasília e receba notícias em tempo real.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes