sábado, 02/03/2024
Banner animado
InícioAGRONOTÍCIASAgronegócio"Governo está permitindo invasões", diz vice-presidente da Faesp sobre MST

“Governo está permitindo invasões”, diz vice-presidente da Faesp sobre MST

De acordo com Tirso Meirelles, invasões do MST não têm a ver com a busca por uma reforma agrária, mas são ações extremamente políticas

Banner animado

POR CANAL RURAL

Em entrevista ao Canal Rural, o vice-presidente da Faesp, Tirso Meirelles, afirmou que as recentes invasões do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) não têm a ver com a busca por uma reforma agrária, mas são ações extremamente políticas.

Ele destacou que a agricultura moderna exige alta tecnologia e produtividade, e que simplesmente colocar uma pessoa sem aptidão em uma propriedade rural não funciona. É preciso ter uma estrutura por trás para que haja inovação e tecnologia na produção.

“Extremamente político. Eu vou dar um exemplo. Há quatro ou cinco anos, o Tribunal de Contas da União fez um grande levantamento sobre todas as reformas agrárias que ocorreram no país e constatou inúmeros desvios de recursos. Isso acontece porque para realizar uma reforma agrária é necessário avaliar a aptidão das pessoas. Não se pode simplesmente colocar qualquer um, pois a agricultura hoje é uma atividade altamente tecnológica. Os pequenos e médios produtores rurais precisam de tecnologia para aumentar sua produtividade e se manterem competitivos. Caso contrário, os custos aumentam muito e é impossível manter a atividade. Por isso, se alguém sem aptidão entra na atividade, é improvável que obtenha sucesso. É preciso uma estrutura para oferecer inovação e tecnologia na produção”, afirma.

Na semana passada, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) protocolou uma ação com pedido de liminar para impedir invasões de propriedades rurais no país.

O pedido judicial da CNA leva em consideração as ameaças de invasões a propriedades rurais no país e solicita ao STF a determinação ao MST e à Frente Nacional de Lutas Campo e Cidade (FNL), bem como outros grupos organizados, que suspendam qualquer política ou estratégia de promoção de invasões de terras.

Diversas entidades se manifestaram sobre o assunto, declarando apoio às iniciativas jurídicas para barrar as invasões de terra. Entre elas, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp).

Segundo Tirso Meirelles, para inibir essas ações é preciso levar a Constituição a ferro e fogo.

Ele defende que o governo precisa sinalize que não tolera invasões de propriedades.

“A Constituição deve ser respeitada e defendida. É preocupante que o governo esteja permitindo essas invasões. O fato de o presidente Lula ter levado o líder do MST, João Pedro Stédile, em uma viagem internacional à China, enquanto incentivava a invasão de propriedades e a criação de conflitos, é um exemplo disso. Na semana passada, as federações de agricultura se uniram e apresentaram documentos ao Supremo Tribunal Federal para impedir que Stédile continue promovendo esses movimentos de invasão, que violam a Constituição, e exigir sua prisão”.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes