sábado, 02/03/2024
Banner animado
InícioVida e SaudeIdosos que têm cachorro apresentam menos chance de demência; diz estudo

Idosos que têm cachorro apresentam menos chance de demência; diz estudo

Banner animado

Por Karen Belém

Imagem de capa para Idosos que têm cachorro apresentam 40% menos chance de demência; Estudo
Idosos que cuidam de cachorro têm risco 40% menor de desenvolver demência em comparação com aqueles que não têm bichinhos, revela a pesquisa feita em Tokio. – Foto: reprodução/Getty Images

Mais um motivo para amar esses anjinhos de quatro patas: Um estudo publicado na Preventive Medicine Reports mostrou que idosos com mais de 65 anos que têm cachorro apresentam 40% menos chance de desenvolver demência. Com gatos o resultado não foi tão positivo. 

A pesquisa realizada em Tóquio analisou 12 mil moradores da cidade e concluiu que a atividade física e a interação social que vem com os cuidados diários com os cães são os principais responsáveis por esse benefício. 

Ter um companheiro peludo significa maior probabilidade de sair de casa, como para levar o bichinho para passear, por exemplo. Isso estimula a prática de exercícios e as interações humanas, fatores vitais para a saúde do cérebro.

O que é demência? 

Demência é um termo genérico para uma condição grave de perda de memória.

Ela pode afetar a linguagem, a resolução de problemas e outras atividades de pensamento do dia a dia.

A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência, com 60/80% dos casos. 

Atualmente, 55 milhões de pessoas em todo o mundo lidam com essa condição.

Evidências na pandemia 

Segundo o estudo, na pandemia de Covid-19, os donos de cães que estavam isolados em casa e não praticavam exercícios tinham mais chance de ter demência.

Mesmo assim, a chance ainda é menor do que para quem não tem cachorro, não se exercita e fica isolado.

Depois de quatro anos de pesquisa, ter um cachorro mostrou ter um impacto positivo na redução do desenvolvimento de demência, mesmo após considerar outros fatores.

Abraços peludos aliviam o estresse 

Outros estudos recentes sugerem que abraçar um cachorro por 5 a 20 minutos traz alegria instantânea e também pode afastar o estresse.  

Esse gesto de carinho pode diminuir os níveis do hormônio do estresse, o cortisol, nas pessoas. 

Então, da próxima vez que estiver se sentindo sobrecarregado, encontre um amiguinho peludo para um abraço reconfortante e deixe a magia canina fazer seu trabalho! 

Cuidar de um cão promove a atividade física e a interação social, que são cruciais para a saúde geral do cérebro. - Foto: reprodução/Getty Images/iStockphoto

Cuidar de um cão promove a atividade física e a interação social, que são cruciais para a saúde geral do cérebro em idosos. – Foto: reprodução/Getty Images/iStockphoto

SNB / Com informações de New York Post. 

Espalhe notícia boa!

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes