terça-feira, 05/03/2024
Banner animado
InícioNotíciasEducaçãoMPMT: visão sistêmica é apontada como caminho para pacificação de conflitos

MPMT: visão sistêmica é apontada como caminho para pacificação de conflitos

Banner animado
MPMT

por ANA LUÍZA ANACHE

 Integrantes do Ministério Público de Mato Grosso e da comunidade escolar de todo o estado participaram, na manhã desta terça-feira (11), de um debate sobre “Pacificação social de conflitos no ambiente escolar”. Os palestrantes, professores doutores Marcelo Luiz Pelizzoli, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e Cândida Soares da Costa, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), defenderam a visão sistêmica, a ampliação do olhar, a mediação escolar, a promoção da cultura de paz e o estímulo ao ambiente restaurativo como as soluções para os conflitos escolares.

Segundo os palestrantes, a escola é o reflexo da sociedade, da família e da comunidade em seu entorno, e os conflitos são sintomas, gritos de socorro, que devem ser tratados com uma visão de acolhimento, compaixão e amor. “O ambiente tem que ser restaurativo, com resiliência, espaços para as pessoas se expressarem, contato maior com os pais, conexão entre professores, canais de diálogo e um olhar da cultura de paz para transcendermos o lado sombrio do conflito”, argumentou Marcelo Luiz Pelizzoli.

Os professores destacaram ainda que a militarização, a repressão e o autoritarismo são nocivos à pacificação de conflitos. “A militarização das escolas tão divulgada nos últimos anos, que em nada tem a ver com oposição às escolas militares, evidencia a falência da competência do Estado e da sociedade quanto à gestão dos problemas por intermédio de políticas sociais”, ponderou Cândida Soares da Costa.

A mediadora escolar Maria Eterna Pereira da Silva, da Escola Estadual Alda Gawlinski Scopel, em Primavera do Leste (a 231km de Cuiabá), afirmou ter “orgulho de participar desse debate com tema de extrema relevância para a comunidade escolar e demais agentes das redes”. A psicóloga Mallory Sommerfeld Lara, da Diretoria Regional de Educação de Cáceres (a 225km da Capital), agradeceu à organização e enfatizou que os conhecimentos compartilhados foram muito valiosos.

O webinar faz parte da série MP Debate, promovida pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf) – Escola Institucional do MPMT, com objetivo de estimular a reflexão e a definição de diretrizes para atuação dos integrantes da instituição. O evento virtual está gravado e pode ser assistido pelo YouTube (aqui).

Planejamento estratégico – Na abertura do evento, o coordenador da Escola Institucional do MPMT, promotor de Justiça Paulo Henrique Amaral Motta, lembrou que o tema em debate compõe um dos eixos do Planejamento Estratégico Institucional (PEI) do Ministério Público de Mato Grosso. “Exigir a redução das diversas formas de violência escolar na rede pública” é um dos objetivos estratégicos da instituição.

“Atualmente, um dos principais desafios enfrentados no ambiente escolar é o crescimento de conflitos entre alunos, pais, professores e profissionais da educação, surgindo a necessidade de implementar estratégias e práticas de mediação de conflitos que levem em consideração, ainda, a questão racial, muito presente no cotidiano escolar, com toda a sua complexidade. Foi para contribuir na análise dessas questões e na capacitação para uma melhor abordagem dos conflitos no ambiente escolar que a escola institucional organizou este evento”, disse.

O titular da Procuradoria de Justiça Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente, Paulo Roberto Jorge do Prado, contou que voltou a percorrer municípios mato-grossenses com o projeto “Prevenção Começa na Escola”, viando transmitir de maneira simples, direta e objetiva mensagens orientativas e preventivas sobre importantes temas vivenciados por crianças e adolescentes no ambiente escolar.

“Semana passada percorremos cerca de dois mil quilômetros visitando Vila Bela da Santíssima Trindade, Pontes e Lacerda, Jauru e Cáceres, tratando de temas como bullying – que gera violência dentro da escola -, racismo, destruição do patrimônio público, abuso e violência sexual contra crianças e adolescentes dentro do ambiente escolar. E conversando com os promotores de Justiça e demais integrantes da rede de proteção, verificamos que é necessário intensificar a nossa presença nas escolas para enfrentarmos essa temática que tanto preocupa”, relatou.

Mediação escolar – O promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Junior, coordenador do Centro de Apoio Operacional (CAO) de Educação do MPMT e debatedor no evento, contextualizou que o Ministério Público de Mato Grosso tem um projeto de formação de professores em Mediação Escolar, em parceria com o Poder Judiciário e a Secretaria de Estado de Educação. “Ao assinarmos um novo Termo de Cooperação Técnica este ano, inserimos a Justiça Restaurativa, com o curso ‘Facilitadores de círculos de construção de paz’, acreditando ser uma forma bastante prática e envolvente de solução dos conflitos escolares”, afirmou.

Em 2022, os cursos “Mediação de conflitos escolares” e “Facilitadores de círculos de construção de paz” beneficiarão 48 profissionais da educação em Cuiabá e Várzea Grande. Os novos cursos de solução de conflitos escolares qualificarão professores, coordenadores e diretores de escolas públicas estaduais a usar técnicas de mediação e círculos de construção de paz para solucionar conflitos como indisciplina, violência e intolerância nas unidades de ensino. A ideia é que, após a capacitação, esses profissionais se tornem multiplicadores das técnicas em outras unidades de ensino do estado.

ARTIGOS RELACIONADOS
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes