terça-feira, 05/03/2024
Banner animado
InícioSocialCIDADANIANORTÃO:Comissão dialoga com acampados e fazendeiros em área de conflito

NORTÃO:Comissão dialoga com acampados e fazendeiros em área de conflito

Banner animado

Sandra Carvalho | Setas 

COMISSÃO TERRA GUARANTÃ 2

                  Uma comissão criada em caráter emergencial pelo governador Pedro Taques esteve nesta segunda-feira (22.02) em Guarantã do Norte (728 km de Cuiabá) para intermediar conflito entre assentados, posseiros e fazendeiros que disputam áreas da União localizadas dentro da Gleba Nhandu, município vizinho de Novo Mundo, divisa com o Pará. O governador tomou a decisão logo após receber informações sobre um tiroteio na Fazenda Araúna na manhã de domingo (21.02).

        COMISSÃO TERRA GUARANTà  

     A comissão multissetorial do Governo se reuniu na Câmara Municipal de Guarantã com representantes dos acampados e dos fazendeiros. Ambas as partes narraram suas versões sobre os conflitos. De um lado, Geraldo Moraes se apresentou como proprietário da Fazenda Recanto e, de outro, o advogado Rubens Moreno representou o grupo de trabalhadores sem terras que foi obrigado a deixar essa mesma fazenda dia 18 de fevereiro em atendimento a uma decisão judicial de desintrusão.

Na Delegacia Regional de Guarantã do Norte, a comissão do Governo ouviu o presidente da Associação do Acampamento Boa Esperança, Antônio Bento, e outros líderes do grupo na presença do delegado titular Ronan Gomes Villar e de Valmir Aparecido Seze, da Coordenação Estadual da Comissão Pastoral da Terra. Ao final da reunião, os acampados prestaram depoimento sobre o conflito ocorrido no domingo.

                 Ao final do dia a comissão decidiu que irá propor o encaminhamento de uma delegacia móvel à região para trabalhar exclusivamente nos processos que envolvem conflitos. Ainda definiu a construção um canal de comunicação direto com acampados e fazendeiros, sem intermediários, para que recebam informações claras sobre o processo na Justiça Federal e as ações do Governo do Estado para contribuir onde se fizer necessário; e também ficou encaminhado um levantamento da situação social das famílias para uma ação de inclusão socioprodutiva, caso necessária.

O secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social, Valdiney de Arruda, deixou claro que a solução definitiva para o impasse está nas mãos do Governo Federal visto tratar-se de terras da União, mas que o Governo de Mato Grosso está trabalhando para restabelecer o diálogo e encontrar caminhos. “Estamos aqui para tentar restabelecer a paz e o mínimo de impacto social”, justificou o secretário Valdiney de Arruda, alertando os envolvidos que não haverá solução enquanto cada um continuar procurando culpados ou incitando culpados.

“Não haverá nenhum caminho a seguir por vocês até que a Justiça Federal sentencie o processo. Enquanto isso estamos à disposição para auxiliar nas outras demandas que cabem ao Estado, o que inclui levá-los a restabelecer o diálogo pautado na verdade, honestidade e sinceridade e inclusive diálogo com a Justiça Federal”, observou.

O coronel Airton Siqueira, chefe da Casa Militar, também destacou a missão da comissão de mitigar o conflito. “Viemos aqui para conversar com vocês, apurar o quadro social, garantir policiamento em busca de segurança jurídica na área de conflito e dar suporte para que a Polícia Civil esclareça os fatos. E lá no Palácio Paiaguás as portas estão abertas para recebermos vocês a qualquer hora”.

Diretor Agrário da Intermat, Diogo Delben fez um alerta para a possibilidade de a Justiça Federal bloquear o processo de reforma agrária por conta dos conflitos. “Vocês precisam saber que a Justiça dá como inapropriada para regularização fundiária a área que está sob conflito”, frisou o diretor, elencando mais um motivo para que todos mantenham a harmonia.

“Temos uma preocupação muito grande quando percebemos pessoas querendo criar a família, querendo ter algo e acreditando que vamos conseguir o objetivo por meio da violência. Lembro que na Índia, numa situação de conflito muito pior, Gandhi restabeleceu a paz pregando a verdade e o amor. Por isso pedimos que mantenham a calma, que deixem a decisão por conta da Justiça”, concluiu o secretário Valdiney de Arruda.

Integram a comissão o secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social, Valdiney de Arruda; o secretário-chefe da Casa Militar, coronel Airton Siqueira; secretário executivo da Secretaria de Estado de Segurança, Carlos Corrêa Ribeiro; delegado de Homicídios e Proteção à Pessoa, Luciano Inácio; diretor Agrário da Intermat, Diogo Delben; e o defensor público José Edir de Arruda Martins Júnior.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes