domingo, 14/04/2024
Banner animado
InícioNotíciasJustiça e VocêNOVO PROTESTO: Sindicato e associações do Tribunal de Contas do Estado não...

NOVO PROTESTO: Sindicato e associações do Tribunal de Contas do Estado não aceitam indicação de Janete

Banner animado

imagem destaque reprodução web


O ‘abraço contra a ficha suja no TCE’ em uma manifestação que mobilizou dezenas de servidores pode ser reeditado nas próximas horas

hipernoticia

DA ASSESSORIA 


Os rumores, que apontam para o nome da ex-secretária de Cultura, Janete Riva (PSD), esposa do deputado estadual José Riva, para exercer a função de conselheira, deixaram em polvorosa o sindicato e as associações de servidores ligadas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT). Na noite desta quinta-feira (11.12), os dirigentes da Associação dos Técnicos do Controle Público e Externo do TCE (Asteconpe), Domingos Lima e da Associação dos Auditores Públicos Externos do TCE (Audipe), Vander Silveira se posicionaram contrários à indicação de Janete ou qualquer outro político sem experiência para atuar como conselheiro. A realização de um novo ‘abraço ao TCE’ já está sendo planejada.

Assessoria

Vander Silveira

“Não queremos nada mais do que exige a constituição. Estamos mobilizados e unidos contra a indicação de qualquer nome que não tenha conduta ilibada ou conhecimento técnico para a condução de um cargo tão importante para o Estado. Já encaminhamos uma nota à Assembleia Legislativa, ao presidente do TCE e ao governador eleito pedindo um processo limpo para a escolha do novo conselheiro. Consideramos ser indispensável um processo público e transparente, comprovação documental que demonstra notório conhecimento do candidato em matéria jurídica, contábil e financeira ou de administração e ainda a exigência de que não exista qualquer fato que comprometa a idoneidade moral”, afirmam Domingos e Vander.

O manifesto que ficou conhecido como o ‘abraço pela ficha limpa no TCE’ teve origem em novembro, com a insatisfação dos servidores em torno da indicação para conselheiro do então suplente de deputado estadual, Gilmar Fabris, investigado nas operações ‘Ararath’ e ‘Cartas Marcadas’, sob a suspeita de desvio de quase R$ 500 milhões dos cofres do Estado. Com o sucesso do movimento que acabou contando com apoio de instituições como o Ministério Público do Estado, Movimento Contra a Corrupção e Movimento Muda Brasil, os servidores do TCE estão decididos que não aceitam mais qualquer nome.

Contrário à indicação política ‘sem critérios’, os representantes dos servidores do TCE contam com o respaldo da Federação Nacional dos Tribunais de Contas (Fenacontas), Associação Nacional dos Auditores dos Tribunais de Contas (ANTC), Associação Nacional dos Auditores, Ministros e Conselheiros Substitutos dos Tribunais de Contas (Audicon) e Associação Nacional dos Procuradores do Ministério Público de Contas (Ampcom), além de vários sindicatos de servidores dos TCEs da Federação.

Marcos Lopes/HiperNotícias

Vander Silveira destacou a preocupação da categoria com escolhas políticas para o órgão. “Não podemos nos calar. Não estamos contra político A ou B e nem na defesa de nenhum nome para o cargo de conselheiro. Tudo o que queremos é o cumprimento dos requisitos constitucionais dentre eles, idoneidade moral e reputação ilibada que em outras palavras significa ficha limpa”.

Já Domingos Lima argumenta que “vamos reafirmar a posição dos servidores com relação a vacância. Ou seja, que a Assembleia institua através de um Decreto Legislativo a abertura do processo de Escolha do Novo Conselheiro para o TCE através de Edital Publico onde a sociedade organizada possa indicar seus candidatos ao cargo. Lembrando que devem cumprir os requisitos constitucionais que tanto defendemos. Vamos denfender a indicação de um conselheiro cidadão”.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes