terça-feira, 16/04/2024
Banner animado
InícioNotíciasEsportesPresidente do COI é chamado de "assassino" por manifestantes no Rio

Presidente do COI é chamado de “assassino” por manifestantes no Rio

Banner animado

Foto: AFP

 

“Ele está destruindo a fauna e a flora da Barra da Tijuca”, disse um manifestante

Folhapress

 O Presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Thomas Bach, foi hostilizado no sábado (28) e chamado de “assassino” ao tentar conversar com manifestantes que protestavam contra os Jogos do Rio.

 O incidente ocorreu quando o dirigente deixava a reunião do comitê executivo da entidade, realizada num hotel da zona sul da cidade.

 Na companhia do presidente da Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, e de cerca de cinco seguranças, ele seguiu em direção aos manifestantes, mas não conseguiu dialogar com nenhum deles.

O grupo de cerca de 20 pessoas protestavam contra a construção do campo de golfe e da derrubada de árvores na Marina da Glória. A marina será a sede da vela nos Jogos.

Os manifestantes apenas gritavam “COI go home” e chamavam o dirigente de “assassino”. Bach chegou a pegar um folheto dos manifestantes, mas desistiu de conversar após a série de ofensas.

Em seguida, ele entrou em uma van para deixar o hotel.

“Ele é um assassino. Não temos como dialogar. Ele está destruindo a fauna e a flora da Barra da Tijuca[ onde será erguido o campo de golfe]”, disse um manifestante, que não quis se identificar. Nenhum deles disse seu nome.

Uma hora e meia antes, uma ativista havia invadido o lobby do hotel para protestar contra o COI e os Jogos. Ela entrou na portaria apitando e gritando palavras contra o comitê internacional.

‘Esses homens que estão reunidos no 2º andar são uns ladrões”, gritava a ativista, que se identificou apenas como Sandra. A manifestante ficou por cerca de dez minutos discutindo com seguranças até ser recebida por um funcionário do COI.

 “Estamos aberto ao diálogo com todos. Já conversamos com o grupo e vamos voltar a conversar no futuro”, disse o presidente do COI, logo após o primeiro protesto.

A entrevista coletiva de Bach atrasou por mais de uma hora por causa da manifestação liderada por Sandra.

 “Isso é normal. Somos parte do problema e da solução”, disse a presidente da Comissão de Coordenação para os Jogos-2016 do COI, a marroquina Mawal El Moutawakel, ao comentar sobre o protesto.

 Ela desceu para o saguão do hotel minutos depois de Bach tentar conversar, sem sucesso, com o grupo. Mawal pediu ajuda dos funcionários do hotel para conseguir um táxi sem precisar enfrentar os manifestantes.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes