domingo, 21/04/2024
Banner animado
InícioGeralMUNDORainha Fabíola deixa herança a organização sem fins lucrativos

Rainha Fabíola deixa herança a organização sem fins lucrativos

Banner animado

   noticiasaominuto.com

                     A rainha Fabíola, viúva do rei Balduíno I e que morreu na sexta-feira, aos 86 anos, decidiu deixar todo o seu património pessoal a uma organização sem fins lucrativos para ajudar as pessoas mais desfavorecidas e necessitadas da Bélgica. De acordo com a edição digital do ‘Le Soir’, citado pela agência EFE, o testamento de Fabíola, escrito nos últimos dias de vida, deixa a sua herança pessoal à organização “Obras da Rainha”, criada por ocasião do casamento com Balduíno, em 1960.

Agora vai realizar-se o inventário do património privado da rainha para determinar exatamente aquilo que será deixado a esta organização de solidariedade, segundo o jornal belga.

                    Fabíola, que não chegou a ter filhos, vai deixar a sua herança não aos sobrinhos mas à caridade, o que poderá contribuir para “restaurar a imagem” da monarca, depois das revelações segundos as quais teria criado três fundações para que o seu legado fosse parar às mãos da sua família, mas sem pagar os altos impostos de sucessão cobrados na Bélgica.

                O ‘Le Soir’ recorda que, na Bélgica, os direitos de sucessão são “claramente menos importantes” no caso de se ceder uma herança a uma fundação.

Fabíola tinha sido acusada de usar a dotação que recebia como rainha do Estado para alimentar essas fundações, algo que a defunta sempre negou.

                     A viúva do rei Balduíno I estava envolvida numa grande polémica quando em janeiro de 2013 se descobriu a existência da fundação ‘Fons Pereos’, uma entidade criada por ela que poderia ter permitido fazer chegar o seu dinheiro aos sobrinhos, fugindo à taxa de 70% que impõe a legislação belga quando não se trata de descendentes diretos. Em julho, o tribunal de primeira instância determinou a dissolução desta fundação.

                  Depois da polémica, o Governo belga decidiu reduzir as dotações à família real, em especial a da rainha Fabíola, e obrigou pela primeira vez os membros da casa real a pagar impostos sobre o dinheiro que recebem.

                Fabíola de Mora e Aragão, rainha dos belgas durante mais de 30 anos, morreu na noite de sexta-feira no palácio de Stuyvenberg, em Bruxelas, onde viveu nos últimos anos de vida.

                             A Bélgica decretou sete dias de luto nacional antes do seu funeral, que se vai realizar na próxima sexta-feira, na catedral de San Miguel e Santa Gúdula, na capital, onde Fabíola se casou há 55 anos.

Postada por JL Pindado Verdugo

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes