sexta-feira, 01/03/2024
Banner animado
InícioNotíciasEsportesBahia goleia Atlético-MG e conta com tropeço de rivais para se manter...

Bahia goleia Atlético-MG e conta com tropeço de rivais para se manter na Série A

Banner animado

Cauly, Ademir, Thaciano e Luciano Juba marcaram os gols do Tricolor. Paulinho, artilheiro do Brasileirão, marcou pro Galo

O Bahia fez a lição de casa e ainda contou com “ajuda” dos rivais para confirmar sua presença na Série A do Campeonato Brasileiro de 2024. Na última rodada da competição, totalmente disputada nesta quarta-feira, o time de Salvador surpreendeu o Atlético-MG ao golear por 4 a 1 na Arena Fonte Nova e respirou aliviado, fora da zona de rebaixamento da tabela.

Os suados três pontos fizeram o Bahia terminar o Brasileirão com 44 pontos, na 16ª colocação, apenas uma acima da zona da degola que o time frequentou na reta final do campeonato. A última vaga da zona de rebaixamento ficou com o Santos – América-MG, Coritiba e Goiás já estavam com lugar garantido na Série B de 2024.

O Atlético, por sua vez, decepcionou a torcida. Dono da melhor defesa do Brasileirão, o time mineiro sofreu três gols pela primeira vez na temporada. Assim, encerra sua participação na terceira posição da tabela, com a classificação assegurada diretamente para a fase de grupos da próxima edição da Copa Libertadores.

Empurrado pela torcida e desesperado para evitar o rebaixamento, o Bahia foi para cima do Atlético-MG nos instantes iniciais da partida. E quase abriu o placar logo no primeiro minuto, com Thaciano. A pressão deu resultado aos 10. O time mineiro falhou feio na saída de bola e o ataque do Bahia não perdoou. Em rápida troca de passe, Cauly recebeu sem marcação dentro da área e mandou para as redes.

Foto: Felipe Oliveira/E.C Bahia

O gol incendiou ainda mais a Arena Fonte Nova. Três minutos depois, Kanu quase ampliou o placar, em cabeçada perigosa. O goleiro Everson fez linda defesa para evitar o segundo gol dos anfitriões. Rezende também teve chance de anotar o segundo do Bahia, aos 24, ao bater de longe. Novamente, Everson salvou o Atlético.

O time comandado por Felipão, dono do melhor aproveitamento do segundo turno, estava irreconhecível em campo. Perdia todas as disputas no meio-campo e abdicava de atacar. Numa rara investida, buscou o empate aos 35. Igor Gomes acertou passe preciso para Paulinho, que bateu na saída de Marcos Felipe: 1 a 1.

O empate, contudo, não desanimou o Bahia. Aos 46, Biel bateu firme da entrada da área e mandou rente ao travessão. A pressão aumentou novamente e o time da casa voltou a abrir vantagem no marcador. Aos 51, Luciano Juba completou cruzamento de primeira para as redes e anotou seu primeiro gol com a camisa do Bahia.

Com o placar de 2 a 1 e resultados favoráveis nos jogos envolvendo os rivais diretos, o time de Salvador terminou o primeiro tempo se garantindo temporariamente na primeira divisão

O segundo tempo repetiu o primeiro, com maior iniciativa ofensiva por parte do time da casa. O Bahia continuava dominando o meio-campo, praticamente neutralizando a criação atleticana. Jogadores, como Edenilson e Pavon, mal participavam da partida. Como consequência, Hulk e Paulinho ficavam isolados no ataque.

Incomodado com a situação, Felipão sacou os dois meio-campistas e colocou Pedrinho e Alan Kardec para buscar o empate. O Atlético temia ver os rivais reagindo em seus jogos, o que poderia até tirar o time mineiro do G-4, sem a vaga direta na fase de grupos da próxima edição da Copa Libertadores.

Mas a estratégia foi ofuscada pelo terceiro gol do Bahia. Aos 21, Rezende finalizou de fora da área, mas pegou mal e viu a bola sobrar nos pés de Thaciano que, da marca do pênalti, chutou para as redes. Quando o jogo parecia definido, Ademir decretou a goleada do Bahia com o quarto gol dos anfitriões aos 46 minutos do segundo tempo.

O resultado, aliado a resultados de rivais, salvava o Bahia do rebaixamento. Nos minutos finais, os torcedores estavam mais preocupados com os resultados das partidas envolvendo Vasco e Santos. O time carioca superou o Red Bull Bragantino por 2 a 1 e também se salvou, enquanto o Santos foi batido pelo Fortaleza pelo mesmo placar, na Vila Belmiro, e teve seu primeiro rebaixamento da história decretado nesta noite.

FICHA TÉCNICA:

BAHIA 4 X 1 ATLÉTICO-MG

BAHIA – Marcos Felipe; Kanu, David Duarte e Vitor Hugo; Gilberto, Rezende (Diego Rosa), Acevedo (Mugni, depois Léo Cittadini), Cauly, Luciano Juba; Biel (Ademir) e Thaciano (Cicinho). Técnico: Rogério Ceni.

ATLÉTICO-MG – Everson; Mariano, Igor Rabello, Jemerson e Arana (Alisson); Otávio, Edenilson (Pedrinho), Pavon (Alan Kardec), Igor Gomes (Rubens); Hulk e Paulinho. Técnico: Felipão.

GOLS – Cauly, aos 10, Paulinho, aos 35, e Luciano Juba, aos 51 minutos do primeiro tempo. Thaciano, aos 21, e Ademir, aos 46 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Rubens, Vitor Hugo, Paulinho.

ÁRBITRO – Ramon Abatti Abel (SC).

RENDA – R$ 838.345,00.

PÚBLICO – 27.746 pagantes (28.019 no total).

LOCAL – Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Foto destacada, divulgação: Felipe Oliveira/E.C Bahia

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes