segunda-feira, 04/03/2024
Banner animado
InícioNotíciasPolicialChamar alguém de “animal” incentiva a violência; segundo estudo

Chamar alguém de “animal” incentiva a violência; segundo estudo

Banner animado

Experimentos concluíram que o uso de adjetivos animais altera as percepções sobre a aceitação social, possibilitando o apoio à violência

Por Alessandro Di Lorenzo, editado por Bruno Capozzi 

Imagem: tanitost/Shutterstock

Chamar alguma pessoa ou uma inteira população de “animal” (ou “animais”) não é algo exatamente raro na história da humanidade. A palavra foi usada por diversos líderes de países para menosprezar e até justificar atos de agressão, como guerras. Agora, pesquisadores sugerem que o uso dela tem mais poder do que poderíamos imaginar, alterando a régua moral e dando espaço para a violência.

Como explicar o apoio à violência contra determinados grupos?

  • Após experimento, cientistas descobriram que o uso de adjetivos animais, por exemplo, demonstrou aumentar a disposição das pessoas em apoiar a violência, alterando as percepções sobre a aceitação social.
  • Eles criaram grupos políticos fictícios e os descreveram de diferentes maneiras aos participantes do estudo.
  • Algumas dessas descrições incluíam palavras como “serpentes” ou “baratas”, enquanto outras incluíam descrições negativas de seres humanos.
  • O resultado foi que os partidos classificados em termos animais foram mais indesejáveis, com os participantes relatando que estavam mais dispostos a prejudicar esses grupos.
  • As informações são da BBC.

Uso das palavras tem força sobre a percepção moral

As pesquisas sobre desumanização começaram após a Segunda Guerra Mundial, quando os psicólogos tentaram examinar como algumas populações apoiaram genocídios e outros crimes contra a humanidade.

Uma análise recente realizada pela Universidade de Estudos Humanísticos de Utrecht, na Holanda, descobriu que a desumanização nos campos de concentração nazistas, por exemplo, funcionou para remover qualquer ideal moral contra o tratamento cruel. Os psicólogos usam termos como “outroização” e “efeito do grupo externo/interno” para descrever o fenômeno do uso de linguagem desumanizante.

Um outro estudo, realizado em 2013 por psicólogos da Universidade de Kent, no Reino Unido, descobriu que quanto mais os participantes cristãos associavam palavras desumanizantes aos muçulmanos, mais dispostos eram a apoiar a tortura de prisioneiros de guerra apoiadores do Islã.

No entanto, quando os pesquisadores descreviam a cultura muçulmana com palavras como “paixão” e “ambição”, os cristãos se mostraram menos propensos a usar expressões desumanizantes e até para apoiar a tortura. A conclusão dos pesquisadores é que quanto mais uma pessoa ouve um grupo ser descrito de forma desumanizante, maior a probabilidade de aceitar atos violentos contra ele.

Por outro lado, quem frequentemente se sente desumanizado tendem a fazer o mesmo. É o que revela uma pesquisa que pediu aos participantes que avaliassem alguém em uma escala de 0 a 100, em termos de quão evoluída acreditavam que essa pessoa fosse, no contexto de uma famosa imagem que representa “a evolução do homem”.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes