terça-feira, 05/03/2024
Banner animado
InícioSocialCIDADANIACidade sem políticos, nem classes sociais é governada pelo povo

Cidade sem políticos, nem classes sociais é governada pelo povo

Banner animado

Só Notícia Boa

FOTO: DIVULGAÇÃO

Tudo ao contrário do que vivenciamos hoje principalmente no Brasil, onde a classe política está desacreditada.

Existe um lugar em que a política é feita do povo e para o povo. Uma cidade em que não há religião oficial e o dinheiro é mero detalhe.

Lá a política depende da comunidade. Não existem prefeitos, governadores ou secretários em Auroville.

Sempre que surge um problema, uma assembleia é convocada e os cidadãos da comunidade elegem um conselho que remediará o problema.

Também não há religião oficial. Os residentes em Auroville são livres para exercer seus rituais e acreditar no que quiserem, desde que não incomodem ou tentem pregar suas crenças aos concidadãos.

História

Auroville foi fundada em 1968 pelo casal Sri Aurorando e Mirra Alfassa. Ele indiano e ela francesa.

No dia da inauguração da comunidade, pessoas de todos os cantos do mundo levaram terra de seus países nativos para simbolizar a união de todas as nações.

Hoje, cerca de duas mil pessoas moram na cidade, quem tem capacidade de receber até 50 mil moradores.

A maioria dos habitantes de Auroville é indiana, mas há gente da França, da Alemanha, de Israel, dos Estados Unidos, da Rússia e até do Brasil.

NO CENTRO DA CIDADE HÁ O MONUMENTO MATRIMANDIR, CONHECIDO COMO ESPÍRITO DA CIDADE (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Monumento Matrimandir (Foto: divulgação)

Completamente autossustentável, a cidade tem campos cultiváveis, pequenas fábricas, restaurantes, padarias, hospitais, escolas e cinemas, além de um pequeno jornal local, tudo alimentado por energia solar.

E não há escassez de profissionais! Lá, moram arquitetos, cientistas, médicos e artistas de todos os tipos, de escritores e poetas a escultores e pintores.

Todos os moradores recebem um salário mensal de R$ 405, valor suficiente para os gastos médios e para guardar um pouquinho para qualquer emergência.

Mesmo que alguém acumule muito dinheiro, tocando um negócio, não há muito o que comprar, evitando assim a criação de uma sociedade de classes.

Carros? Não existem em Auroville. Os cidadãos se locomovem com suas bicicletas.

ALÉM DE TEREM TRABALHOS FORMAIS, OS MORADORES AJUDAM NA MANUTENÇÃO DA CIDADE, COMO NO PLANTIO DE ÁRVORES (FOTO: DIVULGAÇÃO)

 

Com informações Revista Galileu

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes