domingo, 03/12/2023
Banner animado
InícioNotíciasPolicialMendonça revela empréstimo de R$ 4 milhões a Silval e existência de...

Mendonça revela empréstimo de R$ 4 milhões a Silval e existência de caderno de “acerto de contas”

Banner animado

 

                    Em depoimentos prestados à Polícia Federal, sob a proteção da delação premiada, o proprietário de uma factoring cladestina de Cuiabá, Junior Mendonça, afirmou que emprestou R$ 4 milhões, durante a campanha eleitoral de 2010, ao então candidato a reeleição Silval Barbosa (PMDB). Ele era vice na gestão do governador, hoje senador Blairo Maggi (PR), e foi reeleito ao vencer o empresário Mauro Mendes (PSB), que atualmente é o prefeito da capital Cuiabá. 

                         O acordo teria sido celebrado na residência do governador no bairro Jardim das Américas, em uma reunião entre Silval, Junior Mendonça e o então secretário de Fazenda, Edmilson dos Santos, que teria intermediado o encontro. Inicialmente, Silval teria pedido R$ 7 milhões, mas o valor foi negado. 

                     As declarações mostram a “tipologia espúria de destinação dos recursos e o extenso envolvimento de Silval”, segundo o Ministério Público Federal. Elas fazem parte do pedido de busca e apreensão feito pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e determinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Tóffoli. O alvo foi o apartamento do governador e buscou tentar encontrar o caderno espiral de “acerto de contas”, de tamanho universitário, conforme consta na decisão do ministro que o BlogdoAnteroteve acesso na íntegra.

                     As movimentações financeiras eram realizadas por meio das empresas Globo Fomento e Comercial Amazônia, que teriam verdadeiras “contas-correntes” em favor de investigados. Os pagamentos para Silval foram feitos, segundo depoimento de Mendonça, de três formas: emissão de vários cheques, em dinheiro e por meio do pagamento de contas de campanha com empresas. 

                       Silval chegou a ser preso na terça-feira (20), porém não por conta da Operação Ararath, mas sim por ter a posse de uma arma que estaria com o registro vencido. Ele pagou fiança no valor de R$ 100 mil e foi liberado.

                     Também foram presos o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, e o ex-secretário da Casa Civil e da Copa do Mundo, Eder Moraes, que já estão em Brasília onde prestarão depoimentos. blogdoantero

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes