quarta-feira, 28/02/2024
Banner animado
InícioNotíciasJustiça e VocêMPF quer excluir declaração sobre “sexo” em banco de dados oficial

MPF quer excluir declaração sobre “sexo” em banco de dados oficial

Banner animado

O órgão afirma que as regras em vigor geram “constrangimentos” a pessoas transexuais

Preenchimento de dados (imagem ilustrativa) Foto: Pixabay

A Procuradoria da República no Acre entrou com uma ação para proibir a União de fazer distinção entre nome social e nome de registro civil e de exigir declaração sobre sexo em documentos e cadastros da administração federal.

O órgão afirma que as regras em vigor geram “constrangimentos” a pessoas transexuais e pede que as adequações sejam feitas em até 30 dias.

O tema vem sendo debatido desde que a nova carteira de identidade passou a ser emitida com os campos “sexo” e “nome social”, que não existiam no modelo antigo. As mudanças foram definidas no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O Ministério Público analisou outros sistemas do governo federal e encontrou o mesmo padrão. É o caso, por exemplo, do gov.br, Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e ConecteSUS.

Na interpretação do órgão, o modelo alimenta a transfobia e contribui para situações de “violência, humilhação e tratamentos degradantes”.

– Justapor o nome civil e o nome social no mesmo documento, conforme estabelece o mencionado decreto, desconsidera o papel do nome social de promover a igualdade e a não discriminação da população LGBTI+ à vista da realidade social, na qual a incompatibilidade entre a imagem corporal representada pela pessoa trans e o nome em seus documentos gera, constantemente, constrangimentos e situações de transfobia – diz a ação.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão no Acre, Lucas Costa Almeida Dias, que lidera a iniciativa, pede que o governo federal crie mecanismos para adequar formulários, sistemas registrais e bancos de dados.

O QUER REQUER O MPF:
– Unificação do campo “nome”, sem distinção entre o nome social e o nome de registro civil;

– Extinção do campo “sexo”;

– Adequação de formulários, sistemas e bancos de dados da administração federal.

*PlenoNews /Com informações AE

ARTIGOS RELACIONADOS
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes