sábado, 02/03/2024
Banner animado
InícioAGRONOTÍCIASAgronegócioMST desocupa área da Embrapa após concessões do governo

MST desocupa área da Embrapa após concessões do governo

Banner animado

Os militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) desocuparam, enfim, um terreno da Embrapa Semiárido, em Petrolina, Pernambuco. A justiça federal do estado havia determinado a saída das famílias do local na última quarta-feira (19).

Assim, cerca de 600 integrantes deixaram o local após a invasão, que faz parte da ação coordenada do movimento pelo ‘Abril Vermelho’, em que o grupo passou a realizar marchas, ocupações e vigílias com o objetivo de pressionar o governo a realizar uma reforma agrária no país.

Os integrantes do MST saíram da área após reunião com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Tiveram do governo federal, em contrapartida, a promessa de realização de levantamento e mapeamento das famílias acampadas para a compra de cinco propriedades na região para o assentamento de todos.

Invasões preocupam o governo

Membros da Esplanada já expuseram o receio de as constantes invasões do Movimento diminuírem o capital político do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Dentro do alto escalão do Executivo, existe o medo de que as pesquisas de opinão reflitam de maneira negativa na avaliação do governo, podendo, até, atrapalhar a tramitação de projetos no Congresso Nacional.

  • Reforma agrária: MST diz que governo Lula vai aumentar orçamento

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, criticou novamente na última sexta-feira (21) as ocupações que o MST promove em fazendas e propriedades rurais. Segundo ele, existem “outras formas de lutar” e reivindicar os direitos.

“Discordo de qualquer tipo de invasão de áreas produtivas, sobretudo áreas em que estão se desenvolvendo pesquisas, como forma de luta. Acredito que o MST e outros movimentos disponham de outras formas de luta, que podem conquistar ainda mais a sociedade para causas importantes como reforma agrária, agricultura familiar e produção de alimentos no nosso país”, afirmou.

O MST iniciou na última sexta-feira, também, o processo de desocupação das áreas invadidas da Suzano em Aracruz, no Espírito Santo. O plano de desocupação prevê que as famílias do movimento devem deixar a área até a próxima quinta-feira (27).

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes