terça-feira, 16/04/2024
Banner animado
InícioAGRONOTÍCIASAgronegócioProdução brasileira de algodão deve ser a segunda melhor em 20 anos

Produção brasileira de algodão deve ser a segunda melhor em 20 anos

Banner animado
algodão na Bahia - bangladesh

Mantendo, basicamente, a mesma área plantada da safra 2021/2022, 1,6 milhão de hectares, o Brasil está perto de confirmar uma produção de mais de três milhões de toneladas de algodão beneficiado (pluma) na safra 2022/2023.

Em 20 anos, a marca foi atingida apenas uma vez, no ciclo 2019/2020. O provável incremento de 20% na colheita será resultado direto do avanço da mesma ordem (19%) na produtividade:

  • 1,84 mil quilos de pluma por hectare, contra 1,54 mil quilos do ciclo anterior.

Clima ajudou o algodão

De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Alexandre Schenkel, a boa distribuição das chuvas ao longo da safra explica o aumento da produtividade.

Cerca de 92% das lavouras brasileiras dependem exclusivamente de água da chuva para se desenvolver e a tecnologia da irrigação está presente nos demais 8%.

“O produtor usa todas as tecnologias disponíveis para mitigar riscos climáticos, mas, ainda assim, precisamos de chuva na quantidade e no momento certo, para garantir as boas produtividades e  produção. Até o momento, apenas 4% das lavouras brasileiras foram colhidas”.

Mercado interno

algodão mato grosso canal rural mato grosso pedro silvestrealgodão mato grosso canal rural mato grosso pedro silvestre

Foto: Pedro Silvestre/Canal Rural Mato Grosso

Do total de algodão produzido no país, cerca de 650 mil toneladas devem abastecer a indústria nacional.

Tradicionalmente, esse número era em torno de 100 mil toneladas superior ao esperado pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), que credita a queda aos reflexos da recessão mundial pós-pandemia.

Segundo o presidente da entidade, Fernando Pimentel, até o momento, o ano de 2023 não foi positivo.

“Tivemos queda na produção da indústria e no varejo, aumento nas importações (de produtos de vestuário), e o dado positivo é que, ainda assim, conseguimos gerar cerca de 5 mil novos postos de trabalho no primeiro semestre”, diz Pimentel.

Para o segundo semestre, a expectativa é melhor. “Precisamos encontrar condições para o Brasil voltar a crescer, atacando firmemente o custo Brasil, a insegurança jurídica, e fazer desse país um bom ambiente para investimentos. Vamos olhar para 2024, na expectativa da consolidação do arcabouço fiscal e do avanço da reforma tributária”, argumenta.

  • Preocupados com preços, produtores de algodão em MT avançam na colheita

Exportações de algodão

colheita de algodãocolheita de algodão

Foto: Sérgio Cobel da Silva/ Embrapa Algodão

A Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea) acredita que as exportações, na safra 2022/2023, devem fechar em torno de 1,4 milhão de toneladas. Os principais mercados para o algodão brasileiro permanecem na mesma ordem:

  1. China
  2. Vietnã
  3. Paquistão
  4. Bangladesh
  5. Indonésia
  6. Turquia

Demanda mundial

Segundo o presidente da Anea, Miguel Faus, a demanda mundial segue fraca. Os estoques intermediários estão elevados, mas a China começa a voltar às compras.

A inflação começa a demonstrar os primeiros sinais de queda nos Estados Unidos, mas, na Europa, ainda está elevada. “O basis do algodão brasileiro segue pressionado para baixo, com a safra cheia no Brasil e na Austrália, disse Faus, lembrando, ainda, o terremoto na Turquia, no início do ano, que atingiu em cheio a indústria turca.

“Os preços da commodity estão variando em torno de 80 centavos de dólar por libra-peso, há seis meses, com tendência de queda”, acrescentou.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes