terça-feira, 21/05/2024
Banner animado
InícioSocialMulherServidoras do DF agora têm licença de 3 dias no período menstrual

Servidoras do DF agora têm licença de 3 dias no período menstrual

Banner animado

Por Karen Belém

Imagem de capa para Servidoras do DF agora têm licença de 3 dias no período menstrual
Servidoras de Brasília que sofrem com dores intensas no período menstrual agora vão ter direito a licença remunerada. – Foto: reprodução/Canva

Servidoras públicas do Distrito Federal que enfrentam dores intensas durante o período menstrual, agora têm direito a uma licença de até 3 dias por mês, sem qualquer desconto salarial.

A nova lei prevê a medida em casos de “sintomas graves associados ao fluxo menstrual”. Para isso, basta a funcionária apresentar um atestado médico do trabalho ou ocupacional.

O texto havia sido vetado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), mas deputados distritais derrubaram veto e a lei foi publicada nesta quarta-feira (6).

Pioneira no Brasil

A capital é a primeira unidade da Federação a implementar a licença menstrual remunerada.

“A promulgação da lei é um primeiro passo para que a gente comece a discutir a saúde menstrual. Além de reconhecer e tratar as mulheres que têm sintomas graves associados ao fluxo menstrual, é uma oportunidade para difundir informações a toda a população”, disse o deputado distrital Max Maciel, do PSOL, autor da Lei.

Inspiração para outras regiões

O deputado ainda ressaltou a expectativa de que a medida inspire outras regiões do país a adotarem políticas semelhantes.

No âmbito nacional, ainda não existe uma legislação específica sobre o tema, no entanto, na Câmara dos Deputados, há uma proposta em tramitação que prevê a mesma licença aprovada no DF.

No Pará, um projeto semelhante foi analisado, mas acabou vetado pelo governo estadual.

A licença já existe em alguns países

Em outros países, como Japão, Taiwan, Indonésia e Coreia do Sul, já existem políticas que garantem algum tipo de afastamento remunerado para mulheres durante a menstruação.

Na Europa, a Espanha foi pioneira ao autorizar a ausência do trabalho para mulheres com cólicas menstruais. Lá, eles consideram a cólica menstrual como “incapacidade temporária”.

Já a França analisa a possibilidade de implementar uma licença menstrual remunerada.

Para conseguir a licença sem ter desconto no salário, as mulheres precisam apresentar atestado. - reprodução/Getty Images

Para conseguir a licença menstrual sem ter desconto no salário, as mulheres precisam apresentar atestado médico. – reprodução/Getty Images

SNB / Com informações de Agência Brasil.

Espalhe notícia boa!

ARTIGOS RELACIONADOS
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes