terça-feira, 05/03/2024
Banner animado
InícioGeralNEGOCIOS & CIACaravana da Integração abre possibilidade de novo mercado

Caravana da Integração abre possibilidade de novo mercado

Banner animado

Na avaliação do vice-governador Carlos Fávaro, experiência também servirá para efetiva implementação da ZPE de Cáceres

Durcy Arévalo e Lorena Bruschi | Vice-governadoria 

André Romeu/Vice-governadoria

             O vice-governador Carlos Fávaro, que acompanhou o governador Pedro Taques na Caravana da Integração pela Bolívia, Chile e Peru, afirma que as tratativas realizadas durante a viagem abrem possibilidade de aumentar o comércio de carnes produzidas em solo mato-grossense, para a região sul-americana, revertendo a diminuição considerável desta atividade ocorrida entre 2015 e 2016.

Dados da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) apontam que em 2015 a Bolívia importou U$ 110,43 mil em carnes e o Chile outros U$ 41,92 milhões. Para o vice-governador, fator chave para alavancar a integração regional é a conclusão da rodovia que liga Cáceres a Santa Cruz de La Sierra.

Fávaro acredita que a rodovia abrirá um mercado maior, visto que somente a capital do departamento boliviano de Santa Cruz conta com mais de 2 milhões de pessoas.

“Isso vai motivar o comercio bilateral entre o Brasil e Bolívia, é um comércio gigante com muitas oportunidades. A Bolívia está ligada umbilicalmente ao Brasil, mas de costas. Essa rodovia pavimentada vai viabilizar esse comércio”, reafirma Fávaro sobre o trecho de 315 quilômetros que ainda precisam ser asfaltado.

Apesar dos dados indicarem a viabilidade da expansão comercial, o vice-governador acredita que além do grande efeito econômico, há ainda o social. A importação de itens produzidos nos países vizinhos como pescado de água salgada, frutos do mar, azeite e até vinhos, possibilita também uma troca cultural.

Portos eficientes

O vice governador ressalta a eficiência dos portos visitados, como os de Iquique,, no Chile e o de Matarani, no Departamento de Arequipa, no Peru. Fávaro vê oportunidade comercial, principalmente porto de Matarani, que é o melhor equipado e faz embarques simultâneos de cargas líquidas. A distância de Cuiabá, por exemplo, é de 2.400 km, com acesso facilitado por conta da ferrovia que vem dos Andes.

Outro fator apontado é a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Cáceres que precisará escoar sua produção, tendo o oeste sul-americano como principal alternativa. Por conta disso, a Caravana da Integração buscou experiências no Chile e no Peru.

“Vamos acelerar o processo da Zona de Processamento de Exportação em Cáceres, e fazer a integração com as outras zonas francas e de processamento do Pacífico. Isso vai melhorar a relação comercial, gerar oportunidades aos brasileiros, bolivianos, paraguaios, argentinos, chilenos, e peruanos”, relata Fávaro sobre o uso da saída de cargas brasileiras de valor agregado pelo Oceano Pacífico.

Caravana

Promovida pelo Governo do Estado, em sete dias de viagem a equipe mato-grossense percorreu 31 cidades latino-americanas entre os dias 22 e 27 de abril, e mais de 3 mil quilômetros até o litoral do Pacífico. 

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes