domingo, 14/04/2024
Banner animado
InícioGeralCiência e TecnologiaENERGIA: Uma batata chega para iluminar um quarto

ENERGIA: Uma batata chega para iluminar um quarto

Banner animado

Energia: Uma batata chega para iluminar um quarto

Sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Energia: Uma batata chega para iluminar um quarto

Pode parecer estranho, mas, auxiliada por placas de metal, alguns fios e lâmpadas LED, uma única batata tem potência suficiente para iluminar um quarto durante mais de um mês a baixo custo. A conclusão é de uma equipa de investigadores da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel.
Desde 2010 que o cientista Haim Rabinowitch e os colegas têm trabalhado com o objetivo de criar aparelhos “movidos a batata”, extraindo energia elétrica deste tubérculo e baseando-se numa técnica conhecida desde 1780 – quando o italiano Luigi Galvani fez as primeiras experiências do género – que, agora, melhoraram substancialmente em laboratório.
O sistema funciona de forma simples, conforme explicaram os investigadores numa entrevista recente à BBC: a bateria de batata é criada com o auxílio de dois metais – um ânodo, como o zinco, com elétrodos negativos, e um cátodo, como o cobre, com elétrodos negativos – e, em contacto com ambos, o ácido no interior do tubérculo desencadeia uma reação química que leva à libertação de energia.
“Uma batata tem potência suficiente para iluminar um quarto com uma lâmpada LED durante 40 dias”, disse Rabinowitch à cadeia televisiva britânica, defendendo que pode ser economicamente viável utilizar batatas como fontes de energia onde faltarem alternativas.
Segundo o cientista, trata-se de “energia de baixa voltagem, mas é suficiente para construir uma bateria que poderia carregar telemóveis ou computadores portáteis em locais onde não há uma rede energética”.
No decurso dos testes realizados nos últimos quatro anos, Rabinowitch e os colegas descobriram alguns “truques” que podem aumentar a energia produzida.

Cozinhar as batatas durante oito minutos, por exemplo, reduz a resistência e facilita o movimento dos eletrões, produzindo mais energia, ao passo que partir a batata em quatro ou cinco pedaços aumenta a eficiência energética em até 10 vezes.

A análise de custos feita pela equipa sugere que uma simples batata cozida ligada a placas de cobre e zinco é capaz de gerar energia elétrica ao preço de nove dólares (cerca de sete euros) por KW/hora, um custo inferior, por exemplo, ao custo da energia gerada por uma pilha alcalina AA de 1,5V, que pode chegar a ser 50 vezes maior.
Uso de alimentos como fonte energética é polémico
Embora a batata seja um alimento barato, fácil de armazenar, de longa duração e muito produzido a nível mundial – em 2010, o mundo produziu 324 milhões de toneladas de batatas – a sua utilização como fonte de energia elétrica é polémica.
Num planeta onde 1,2 mil milhões de pessoas não têm acesso à luz elétrica, Rabinowitch acredita que esta poderia ser a solução, mas, para as autoridades responsáveis, a questão é mais complexa do que possa parecer devido aos elevadíssimos números da fome.
 “A primeira pergunta que temos de fazer é se há batatas suficientes para comermos”, alerta Olivier Dubois, da FAO, agência das Nações Unidas para a agricultura e os alimentos, citado pela BBC.

No Quénia, por exemplo, a batata é o segundo alimento mais consumido a seguir ao milho, o que tornaria o seu uso como fonte energética impraticável.

Postada por JL Pindado Verdugo

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!
- Anúncio -
Banner animado

MAIS LIDAS

Comentários Recentes